Passeio à Curitiba – PR

Passeio à Curitiba – PR

Por Em 24 fev 2014
Primão Diogo no Jd. Botânico

Primão Diogo no Jd. Botânico

Foi um passeio maravilhoso, apesar de ter sido planejado meio na correria, pois nem íamos para lá. Porém graças ao primão Diogo, veio uma oferta e para lá nós fomos. Acredito que todos já conhecíamos a cidade, apenas o Henrique ainda não tinha ido para lá.

4 dias é pouco quando se tem tanta coisa a se fazer. Mesmo assim, chegamos com vontade de passear e o primeiro lugar que fomos é o Parque Tanguá. Lá é noite é lindo mesmo, acredito que o charme devem ser as várias lampadas amarelas e as belas flores que além de embelezar perfumam o ambiente…

Descemos pela lateral, no escuro mesmo, que diferença de São Paulo, jamais arriscaríamos passar por um lugar tão escuro assim aqui, mas lá você se sente à vontade. O Caminho leva à queda d’água do parque, e novamente a luz faz seu show à parte…

Dando sequência à nossa viagem, no dia seguinte fomos primeiro ao Jardim Botânico, e para quem não conhece é famoso pela casa de vidro e o jardim florido. Por sorte pegamos uma boa época para ir, dia ensolarado, e as flores abertas. Não sou um  G. R. R. Martin, Bernard cornwell ou mesmo J. R. R. Tolkien, para descrever com tanta precisão o balançar das plantas ao vento, ou o barulho da água caindo sobre as folhas, mas não atoa imagens falam mais que mil palavras…

Em seguida fomos à Ópera de Arame, mas infelizmente estava em reforma e o único acesso foi na ponte que leva à ela. Eu já fui antes, mas sem uma pesquisa prévia não consigo lembrar o que tem no seu interior, poderia afirmar que praticamente a mesma coisa que a casa de vidro do Jardim Botânico, algumas plantas e flores, mas realmente isto é chute pois não consigo me lembrar…

DSCF0548

Ópera de Arame

No dia seguinte fomos ao passeio de trem o Serra Verde Express Curitiba – Jacarepaguá. Diferente do dia anterior, este estava muito fechado, frio, e chuvoso, e isso prejudicou demais a vista, mas não alterou em nada o passeio, acordamos cedo e partimos pra ele. O valor do passeio é bem salgado não vou informar o valor par anão ficar datado, mas é o tipo de passeio que se deve fazer ao menos uma vez na vida, eu por exemplo, penso em voltar par ater a sorte de pegar um dia sem nuvens.

Devo dizer que mesmo com o tempo fechado dá para se ter a noção de porque é necessário manter viva e funcionando esta história sobre trilhos.

Aos paulistas, fica a inveja ter um Rio Ipiranga como o que cruza diversas vezes a ferrovia em sua descida (e subida, afinal o trilho é único…). A cor da água deste rio é aquela avermelhada, mas fica sensacional o som e o visual magnífico que dá à paisagem, além de passar diversas vezes sobre este rio, que vai ficando maior ao longo do tempo, passamos também por dezenas de túneis que cortam as montanhas e não é como passar por um viaduto de uma grande cidade que sabemos que há concretos e ferros… pode ser que tenha isto nestes túneis, mas pense comigo… foi criado em 1880… poxa, quais as tecnologias da época? Quantos morreram e nem conheceram sua obra? Fiquem sabendo que Dom Pedro II e Princesa Isabel também andaram neste trem… e agora? sentiu um pouco mais de vontade de conhecer? Isso porque não falei das construções à beira da estrada de ferro, a chaminé no meio da represa que eu não consegui fotografar (muito rápido…), o Véu da noiva, uma queda d’água que impressiona pela beleza, mas eu só vi por foto, no dia estava nublado demais para enxergar bem…

E Morretes? O que falar de Morretes, do Rio que corta a cidade no qual me arrependo de não ter perguntado o nome mas acredito que pode ser o Ipiranga ainda, Muitos Ipês e outras arvores floridas pela cidade, sem contar os inúmeros restaurantes e todos eles servido o prato mais conhecido da região, Barreado. Que delícia de comida, se quer ter uma ideia de como é, uma carne muito parecida com a “carne-louca” mas num grau muito elevado de sabor… com arroz e farinha… a mistura destes itens deve fazer uma papa e ao virar o prato, ele não cai… Estranho pra você? Saboroso para mim, não deixem de conhecer.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>